Mamoplastia de aumento com próteses de mama: implantes de silicone


Próteses de mama em Brasília

Próteses de mama em Brasília, DF.

 

A mamoplastia de aumento com implantes de silicone corrige assimetrias mamárias, mamas muito pequenas e mamas tuberosas.

 

A mama é um importante órgão na auto-imagem feminina e segundo as épocas tem determinados padrões de tamanho, muito influenciados pela mídia nacional e internacional. O que é verdade é que mamas muito pequenas podem ocasionar transtornos na autoestima feminina, gerando insegurança e muitas vezes disfunções sexuais. 

A preferência pessoal pelo tamanho das mamas é muito importante na hora de pensar em uma cirurgia de aumento de mama com implantes (próteses) e deve ser bem discutida com o cirurgião no momento da consulta, assim como o tipo de resultado desejado: mamas mais redondas, um pouco mais artificiais ou um resultado mais natural.

O Dr. Gustavo R. Moreno utiliza diversas técnicas e vias de acesso para colocar próteses de mama em Brasília, com quinze anos de experiência.

Os resultados naturais na mamoplastia de aumento com próteses de silicone são determinados por vários fatores:

 

  • Constituição física da paciente.  Pacientes muito magras com pouca glândula podem ter resultados mais artificiais, quando as próteses são colocadas sob as glândulas, já que praticamente só teremos pele e próteses de mama, ficando as bordas dos implantes bastante aparentes.
  • Formato das próteses de mama: implantes mamários redondos quando colocados embaixo da glândula (sub-glandulares), em pacientes muito magras e com elevados volumes, deixam um aspecto mais artificial, permitindo a percepção das bordas e em alguns casos, de rugas nos implantes. Assim, quando a paciente é muito magra e deseja um aspecto mais natural, podemos optar pela colocação das próteses de mama sob o músculo ( próteses sub-musculares), sob a fáscia (próteses sub-fasciais) ou utilizar implantes mamários anatômicos.

Para a colocação das próteses de mama podem ser feitas diferentes tipos de incisões nas mamas ou fora delas.

 

Até o momento há cinco tipos de incisões:

  • Incisão peri-areolar
  • Incisão inframamária
  • Incisão axilar
  • Incisão trans-aréolo-mamilar
  • Incisão trans-umbilical 

 

 

Incisão peri-areolar

Localizada na borda superior, ou inferior da aréola, indicada para mamas com aréolas médias e grandes, nas quais vão ser colocadas próteses de gel de silicone de volumes médios máximo de 350 ml. Consideramos este volume para uma aréola de até 4 cm de diâmetro, já que próteses maiores não passariam através de uma incisão de 4 cm.

Tem a vantagem de camuflar bem a incisão e a desvantagem de deixar uma cicatriz muito aparente se a cicatrização não for boa (hipertrofia ou quelóide). Outra vantagem é que através desta incisão podem ser realizadas técnicas para diminuir a aréola e levantar os seios (mastopexia com prótese). Por esta via podem ser colocados implantes mamários de solução salina de grande volume (por entrarem vazios e serem preenchidos com soro já no lugar).

Incisão infra-mamária

Localizada no sulco sub-mamário, oferece excelente acesso para a colocação de próteses de grande volume. Com o tempo, torna-se inaparente devido à pressão constante que exercem as mamas sobre a cicatriz; por este motivo é ideal para mulheres que tem tendência para cicatrizes de má qualidade. No caso de haver necessidade de uma remodelação da cicatriz, não acarretaria deformidades na mama, como seria o caso da cicatriz peri-areolar, que no caso de remover um quelóide pode ficar irregular.

Incisão axilar

Localizada em um sulco axilar, oferece um excelente acesso para a colocação de próteses de solução salina de qualquer volume. Não é apta para implantes de silicone gel grandes, já que estes não passam pela pequena incisão axilar. A qualidade da cicatriz na maioria dos casos é boa, porém imprevisível devido à ampla mobilidade da área. Pode variar entre cicatrizes finas e inaparentes até cicatrizes largas e visíveis ao levantar os braços.

Tem a vantagem de não deixar cicatrizes nas mamas. Antigamente existia dúvida enquanto a interferência da cicatriz na detecção precoce do linfonodo sentinela no caso de câncer mamário. Em louvável trabalho apresentado no congresso brasileiro de Cirurgia Plástica do ano 2006, a Dra. Ruth Graf da Universidade Federal do Paraná demonstrou não haver interferência da incisão na drenagem linfática da mama e por tanto no linfonodo sentinela axilar. Nós utilizamos vídeo-endoscopia para tornar esta cirurgia mais rápida e segura.

Incisão trans-aréolo-mamilar

Criada pelo professor Pitanguy, hoje em dia é pouco utilizada por secionar o conduto galactóforo principal e com isto interferir com a amamentação. Reservada aos casos nos quais é necessária também redução dos mamilos.

Incisão trans-umbilical

Muito popularizada através de programas de TV americanos, esta incisão utiliza a técnica video-endoscópica para colocação de implantes de solução salina. Estes são mais pesados do que os implantes de silicone e sua consistência é mole. Tem uma maior incidência de problemas inerentes ao tipo de implante, como rupturas com esvaziamentos, rugas visíveis na pele e quedas mais precoces, por serem mais pesados. No caso de existir uma hemorragia durante a cirurgia, a mama terá que ser aberta imediatamente, eliminando assim as vantagens teóricas desta cirurgia.

TIPOS DE PRÓTESES CLASSIFICADAS SEGUNDO A SUA SUPERFÍCIE

Próteses lisas

Foram os primeiros implantes a serem usados com sucesso, porém na atualidade são pouco utilizados devido às altas taxas de contratura capsular quando colocados no espaço subglandular. Quando posicionados abaixo do músculo peitoral maior, não há este tipo de inconveniente e é ainda são muito utilizadas por alguns cirurgiões.

Implantes de superfície texturizada

Implantes com superfície rugosa dissipam a força de contração dos miofibroblastos, por quebrar o alinhamento célular, assim as taxas de contratura capsular caíram de 35% para 7-10%.

Implantes recobertos de espuma de poliuretano

São recobertos por espuma de poliuretano, com superfície rugosa que dissipam a força de contração dos miofibroblastos. Por quebrar o alinhamento destas células, as taxas de contratura capsular caíram de 35% para 3-10%. Tem o inconveniente de algumas pacientes apresentarem reações alérgicas como erupções cutâneas (rash cutâneo). No acaso de apresentar contratura, a retirada do implante para troca, é ligeiramente mais difícil que no caso das próteses de superfície texturizada.

TIPOS DE PRÓTESES CLASSIFICADAS SEGUNDO O SEU PREENCHIMENTO:

Próteses preenchidas com gel de silicone de alta coesividade:

São fabricados com múltiplas camadas de polímero de silicone e preenchidas com gel de silicone de alta coesividade eliminando e os problemas de vazamento encontrados quando eram preenchidos com silicone líquido.

Próteses preenchidas com solução salina:

E fabricado com múltiplas camadas de polímero de silicone e preenchidas com solução de soro fisiológico estéril intra-operatório. São ideais para serem utilizadas por via axilar endoscópica, já que as incisões são pequenas e os implantes são introduzidos vazios e depois preenchidos . A incidência de contratura capsular é ligeiramente maior a encontrada nas próteses de gel de silicone de alta coesividade.

PLANOS PARA COLOCAÇÃO DAS PRÓTESES: 

Plano subglandular:

É o plano mais freqüentemente utilizado por muitos cirurgiões. Após a incisão na pele, separamos a glândula do músculo, confeccionando uma loja do tamanho da prótese.  A cirurgia e a recuperação pós-operatória são rápidas. Em pacientes muito magras as próteses podem ficar muito artificiais. O principal inconveniente é interferir com a visualização da glândula mamária na mamografia.

Plano submuscular:

É o plano da nossa preferência (98% dos casos). Indicado para pacientes muito magras, já que os implantes de mama são colocados sob o músculo peitoral maior. É o tipo de cirurgia que deixa as mamas com o aspecto mais natural. A cirurgia é ligeiramente mais demorada, assim como o pós-operatório, o qual é um pouco mais doloroso.

Esportistas de elite: tenistas, nadadoras, jogadoras de vôlei e remadoras, não devem utilizar este plano, pois a força de contração do músculo peitoral estará diminuída após a cirurgia.

Se você é muito magra, não é esportista de competição, dispõe de no mínimo 10 dias de repouso para a sua recuperação, então este é o plano ideal para o seu caso. Este plano não interfere na visualização da mama na mamografia como acontece com o plano sub-glandular. Também a incidência de contratura capsular é menor.

Plano subfascial:

Colocamos os implantes abaixo da fáscia do peitoral maior, camada fibrosa que envolve a superfície anterior do músculo. Compartilha vantagens do plano sub-glandular: cirurgia e recuperação mais rápidas; e do plano sub-muscular: próteses menos aparentes e mais naturais nas pacientes magras e pouca interferência nas mamografias.

São muitos os procedimentos e com indicações claras para aumentar o volume e melhorar as formas das suas mamas. Consulte um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e pondere com ele as vantagens e desvantagens de cada uma das próteses, das vias de acesso e dos planos para o implante, pois de uma correta escolha depende a sua satisfação futura. Caso exista alguma dúvida, não hesite em postar a sua dúvida, o Dr. Gustavo R. Moreno responderá.

Clique agora para ligar e marcar sua consulta:

 

Deixe seu comentário ou dúvida